Nunca perca uma novidade!
Balanço de 2014 e 3 metas para 2015

Balanço de 2014 e 3 metas para 2015

Balanço de 2014 e 3 metas para 2015

DSC_0254
Virada do ano de laranja: criatividade e energia pra 2015!

 

Ver as incontáveis publicações de “melhor ano de todos” me fez pensar se todo mundo teve um ano incrível mesmo, se isso era a “magia” das redes sociais ou se eu só estava cri cri por que não gosto de clichês e agora já não poderia mais dizer que 2014 foi o melhor ano de todos pra mim!

Última opção com certeza.

“Todo dia faça algo que te bota medo”. Nunca concordei com isso, imagina a ansiedade que isso iria causar toda manhã se eu seguisse esse lema. Mas, de certa forma, o meu ano foi assim. Quanta coisa me botou medo! Algumas eu superei, outras eu agi como uma criancinha, mas se tô aqui hoje, já tá bom.

Mas, ah, que ano lindo! Não por que foi tudo cor de rosa, acho que justamento o contrário, por que eu aprendi que todas as cores tem a sua beleza.

Desde que eu me mudei para o Rio, ir “passar as férias em casa” sempre foi o meu porto seguro, a certeza que, ainda que o semestre fosse bem difícil, no final dele eu estaria em casa.

 Então, em 2014, dentre as coisas que marcaram meus feitos pessoais: eu passei o primeiro verão no Rio de Janeiro trabalhando (e entendi que Rio 40º não era uma hipérbole), eu também, em algum momento por volta de abril, criei coragem pra ir atrás do que o meu coração pedia, eu me demiti, me (re) apaixonei – não necessariamente nessa ordem, mas foi nessa ordem -, eu fiz meu TCC com muita realização de ter posto nele tanto carinho diante de todas as dificuldades que eu encontrei no processo, eu tive muitos corações me ajudando, eu tive clareza pra enxergar essas almas lindas, eu fortaleci grandes amizades, – sem as quais eu estaria escrevendo isso aqui com o coração um pouco mais vazio- eu me formei, eu (re)descobri a fotografia e a importância que ela tem para mim depois de 5 anos fotografando, eu me descobri como artista, eu fiz a minha primeira exposiçãoeu fiz mais amizades, eu abdiquei de coisas, nossa, quantas decisões eu tomei, eu cuidei da minha saúde (mas ainda posso cuidar mais), eu enfrentei mais coisas e abdiquei de mais algumas.

Alguns casos são “concretos” – emprego, faculdade, cidade – outros são mais subjetivos e talvez ninguém além de mim entenda o que significa, talvez nem eu. Mas eu sei que várias sementinhas foram plantadas esse ano e sei da grandeza disso dentro de mim. E é por isso que 2015 promete muito crescimento! De espírito, de coração, de mente, de amor, essas são as minhas previsões, pronto, escolhidas! Desejaremos menos coisas, menos beleza, menos reconhecimentos dos outros, esperaremos menos justiça do universo e reconheceremos mais, investiremos no que importa. Em 2015, o meu objetivo é ter a motivação correta.

Agora vamos à 2015 e às minhas metas, não aquelas do tipo “voltar pra academia”, essas entram na minha lista de “criar vergonha na cara”, não nas metas:

cliche
1) Parar de fugir dos clichês: Cair num clichê é um medo tão grande meu que às vezes me vejo super analisando coisas bobas e perdendo tempo com besteira. Em 2015, que as selfies alheias não me incomodem mais. Já mereço 3 estrelinhas por estar fazendo esse post né? O pai dos clichês, o onipresente do 1º de janeiro – e que bom que assim seja, reflexão é sempre bom. ♥

comida_flores_0002
Com cores e, por que não, com flores.

2) Diversificar a minha alimentação: Esse ano eu aprendi a me conscientizar dos riscos dos industrializados, e a minha alimentação ficou mais natural. Agora quero valorizar ainda mais os alimentos que vem da terra, não só os “super-food”, o próximo passo é aprender que todo alimento é um “super-alimento” se for consumido com moderação, por pratos mais coloridos e por mais experiências gastronômicas em 2015. (Amei que o Modices concordou comigo na previsão! Woo-hoo!)

parede
Em busca de um lar

3) Ter a minha parede: Dizem que a sua maior virtude às vezes se torna uma fraqueza né? (Ou eu inventei isso?) Pois bem, ser tão fã de mudanças e viajar com a frequência que eu viajo às vezes me causa uma inconstância e me impede de fazer algumas coisas que eu gostaria – pagar o trimestre da academia, ter um cachorro, reformar o meu quarto, por aí vai. Quando viajei do Rio para Maceió no começo de dezembro, em uma mini-despedida, eu pedi uma ilustração para algumas amigas minhas que eu quero carregar sempre comigo pra lembrar o quanto elas me inspiraram a criar nesse tempo no Rio, essas ilustrações (que, literalmente, saíram melhores do que as encomendas) agora precisam de uma parede, ainda que semi-temporária. Por um 2015 com endereço fixo, que seja eterno enquanto dure.

Espero que a gente se cruze por aí em 2015! Feliz ano novo!
||||| 3 Gostou? |||||

Você também vai gostar

3 Comments

  • Luiza Duarte
    3 anos ago

    Já te falei o quanto você é sensacional??? Venho sempre aqui pra matar um pouquinho das saudades!!! <3
    Pode colocar ai nessa lista, um almoço comigo, porque já virou lenda. BJBJ

    • Paula
      3 anos ago

      HAHAHAHAHAH, essa vai pra lista de “tomar vergonha na cara!”. Saudades de vocêee!! Quando eu estiver no Rio, te aviso.

  • […]      Naquela retrospectiva mental de 2014, bem menos filosófica do que as que a gente publica (aqui), fiquei pensando nas séries e filmes que eu assisti. Por empurrãozinho do destino, do tédio e […]

Deixar comentário

Deixar comentário Your email address will not be published