Assisti e recomendo: edição Janeiro

Assisti e recomendo: edição Janeiro

Desde que o ano começou, eu venho anotando os livros que eu venho lendo e os filmes que eu venho assistindo, eu sei que essa listinha (aloka das listas, prazer) vai me dar alguma informação bacana em algum momento, sobre mim, sobre a fase da minha vida, etc. Como happiness is only real when shared, vou compartilhar a minha lista com vocês e destacar os meus 3 favoritos: assisti e recomendo. Pretendo fazer isso todo mês e essa é a edição de janeiro, se aconchegue e vem comigo.

Não demorou muito e eu já notei que estou numa fase Segunda Guerra Mundial e buscando entender (será que é possível?) um pouco o nazismo, um filme me faz buscar outro, sabe como é? De 10 filmes que eu assisti esse mês, 3 foram sobre o assunto e 2 deles estão no top 3. Clássicos, é verdade, mas assim como eu que nunca tinha visto, sei que esses nomes familiares demais às vezes vão ficando lá embaixo na ordem de prioridade da lista de muita gente.

1A lista de Schindler

403c24cda1d8106a4b878503277481dd

Esse filme é tão bom que me deu raiva em não ter assistido antes. Dura 3 horas? Dura. É preto e branco? É. Mas quando acabar você vai achar que foi curto e quando você olhar pra cor vai ver o poder que ela tem. E quando menos esperar tá adicionando aos favoritos do filmow.

Ele conta a história real de um militar que, apesar de obedecer à ditadura de Hitler,  fez o que tava ao alcance dele pra salvar os judeus durante a Segunda Guerra Mundial.  O carisma dele é tanto, a transformação do personagem é tão linda – ele não tinha esse plano desde o começo – que eu tô arrepiada só em lembrar.

O filme tem cenas memoráveis – a minha favorita é a eles escrevem, de fato a lista – e  atores muito bons: o Liam Neelson no papel de Oskar Schindler e Ralph Fiennes (a.k.a. Voldemort) como nazisma alemão – eu, literalmente, não reconheci ele com nariz.

assistierecomendo_schindler

Tem resenha (cheia de spoiler, viu?) aqui e trailer loongo – e um pouco chato – aqui.

1_01 1_02 1_03

2A vida é bela

avidaebela

Eu, literalmente, tenho vergonha em admitir em público que nunca tinha assistido esse filme.

Prepare o coração pra emoções mistas – tipo quando você descobre que o gênero do filme é “comédia” e ele se passa em um campo de concentração, oi? Tem cena que você ri, tem cena que você chora e tem cena que você faz os dois ao mesmo tempo e tranca a porta que é pra ninguém ver essa cena híbrida.

A história – maravilhosa – é de um judeu italiano que sempre muito brincalhão e imaginativo faz o filho acreditar que a ida forçada para o campo de concentração nazista é um jogo.

O clima do personagem é tão bobo que durante os primeiros 30 minutos eu pensei que estava assistindo o filme errado, algum inspirado n’Os Trapalhões. Eu imaginei, e estava certa, que o filme ia além disso, e como amo uma ironia: no começo do filme, Guido (personagem principal) aprende e aplica teorias, que naturalmente viram piada, de Schopenhauer, ídolo filosófico do Hitler.

assistierecomendo_avidaebela

Tem trailer lindo – com direito a narrador com voz grave tudo – aqui.

avidaebela_01

3A música nunca parou

amusicanuncaparou

Pra ninguém dizer que eu sou ruim, eu vou deixar você olhar, só olhar, baba,  um filme lindo, leve e solto. “A música nunca parou” conta a história de uma relação conturbada entre pai e filho que piora (ou será melhora?), quando o filho tem um tumor no cérebro e perde parte da memória que eles tentam recuperar com musicoterapia. Resumo: filme fofo – já deu pra notar que eu adoro quem faz piada com coisa séria? – e trilha sonora delicinha. Pra quem gosta de música, de relações pai e filho ou de Woodstock, vale a pena assistir.

assistierecomendo_amusicanuncaparouTem trailer, moderninho e bem feito, aqui.

____________________________________________________________________

Falando em música, outro filme muito bom que eu vi esse mês foi o indicado ao Oscar “Whiplash”. Infelizmente, a regra é clara e a juíza (eu), rigorosa, são 3 filmes escolhidos por vez para indicação, por isso, ele não apareceu em destaque aqui.

O resto da lista foi: Os Suspeitos (um suspense muito bom e bem feito, porque realmente surpreende), Philomena (fofíssimo, que mostra uma personagem extremamente não clichê, yay para filmes com personagens femininas decidindo suas próprias vidas), Mesmo se nada der certo (filme gracinha pra assistir e ter vontade de ir pra NY), A menina que roubava livros (da lista de Segunda Guerra, bem tocante), Walt nos bastidores de Mary Poppins (maravilhoso! Tá no top 4 e vale assistir) e Grandes olhos (um filme apenas OK, dá pra esperar chegar no Netflix pra não gastar dinheiro com a pipoca).

E aí? Já assistiu algum desses? Gostou das indicações? Conta pra mim.
||||| 2 Gostou? |||||
Deixar comentário

Deixar comentário Your email address will not be published