Exercício de gratidão: Eu ♥ Los Angeles

Exercício de gratidão: Eu ♥ Los Angeles

Não tem jeito. Tem dia que a saudade bate e só salva na comidinha brasileira com direito a café da manhã (tapioca), almoço (churrasco de frango com farofa e vinagrete) e janta (macaxeira com ovo), o Spotify ligado na playlist de música brasileira e muuito Facetime. Nos outros dias, uma das maneiras de lidar com a saudade é a técnica também conhecida como a hashtag mais utilizada do Instagram de praticar a gratidão. Calma, não corre pras colinas, tenta isso aqui antes de torcer o nariz: quando a sua mente reclamar de algo (ainda que com razão), tenta redirecionar a sua energia pra agradecer a oportunidade que tenha te levado àquele momento. Sempre tem uma, mesmo que seja a chance de aprender (e crescer).

Por exemplo:

O cérebro manda: Ai que saudade do Brasil, que solidão sem minhas amigas por perto.

Redirecionando a sua energia: A verdade é que sim, dá saudade, mas isso só é por que eu tive a oportunidade (incrível btw) que eu nem sonhava quando mais nova de morar em Los Angeles. Obrigada, universo, por me dar a chance de estar vivendo meu sonho, minha ‘vida de filme’ e por ter pessoas tão queridas, que fazem meu coração sentir amado mesmo com milhares de km de distância.

Não é papo de auto-ajuda não (ainda que não haja nada de errado nisso), mas a explicação desse exercício não vale nada se não tiver a experiência própria. Eu tentei por aqui e o resultado foi tão bom que me fez escrever esse post. A mente é uma coisa muito complexa, sorte que um monte de gente já estudou ela e chegou a essas conclusões pra poupar o nosso trabalho: é fato que pensamentos negativos estimulam mais pensamentos negativos, não tem nada errado com você, é a estrutura neurológica!

Em um exercício de 1 min, eu consegui mudar a direção dos meus pensamentos e rapidinho meu cérebro trabalhou fazendo as seguintes conexões:

  1. Los Angeles fez eu conhecer tanto do mundo (literalmente, aqui tem gente da: China, México, Armênia, Rússia, França… é só dizer a nacionalidade e você encontra aqui).
  2. É uma coisa linda saber que esse povo todo aí tem em comum a força de lutar pelo seu sonho. Uma paixão em comum. Você não está sozinho.
  3. A constante validação que é saber que você não é maluca por sonhar em trabalhar como atriz de Hollywood, artista da Disney, gravar o seu próprio álbum, com ilustração etc. A pergunta que eu mais vejo as pessoas se fazendo por aqui é “de aonde você é?”, seguida por “o que te trouxe a LA?”, essa última eu traduzo livremente para “qual sonho te trouxe até aqui?” ❤️
  4. Um flashback rápido me faz abrir um mega sorriso lembrando dos momentos maravilhosos, das conversas incríveis, das pessoas iluminadas que eu conheci por aqui (incluindo o meu namorado 💕). Quando penso assim, a saudade me parece um preço justo a pagar.
  5. As comidas. Sério. Eu falei que aqui tem gente do mundo todo né? E com elas vem parte da cultura de cada lugar. Abri todo um horizonte de comida asiática que eu nunca tinha parado pra pensar e de outros lugares também: ramen, bibimbap (já ouvi de um nativo que é a melhor comida coreana do mundo fora da Coréia), boba tea, comida mexicana – de verdade – e a minha atual favorita, comida de Borneo (uma ilha dividida entre a Malásia e Indonésia). ~Dizem~ por aí que a comida de lá é essa maravilha por que a ilha é estrategicamente posicionada de um jeito de tem influência culinária dos grandes países da Ásia, reunindo o melhor de cada cultura. 🍜

 

Macarrão de ovos e frango preparado de um jeito que só os asiáticos sabem, um sabor que olha, eu nem sei o que dizer.

Termino esse post convidando você a fazer esse exercício: qual é uma situação na sua vida que às vezes te deixa pra baixo? Você consegue ver algo nessa mesma situação que na verdade faz você sentir gratidão?😊 Compartilha comigo que eu quero saber!

 

||||| 5 Gostou? |||||

Você também vai gostar

Deixar comentário

Deixar comentário Your email address will not be published