Vamos falar de auto-cuidado?

Vamos falar de auto-cuidado?

Estava conversando com uma amiga essa semana e começamos a refletir sobre a importância do self-care, ou, auto-cuidado. Entre definir o significado disso pra cada uma de nós e filosofar sobre os motivos que nos levam a não fazê-lo nessa vida atribulada, fiquei encudada com 3 razões que identifiquei rapidamente em mim.

Estou escrevendo esse post numa noite de domingo (postando na segunda por conta da ilustração), enquanto aplico uma máscara de argila natural antes de tomar um banho digno de renovar as energias para a semana que está começando. Além de renovar a ideia de como é importante tirar um tempo pra nós mesmas, quis aproveitar o momento pra reconhecer quais são os desafios que nos mantém longe dessa prática.

1: Acreditar que não somos importantes o suficiente

É um pensamento que pode parecer dramático de início, afinal nosso cérebro raramente nos entrega isso nessas palavras tão duras. A verdade é que as nossas ações podem estar mandando essa mensagem prá nós mesmo que não seja consciente. Sempre que uma vontade de demorar um pouco mais no banho, ou de investir em uma massagem ou corte de cabelo, algo só nosso, é jogado de lado por um pensamento do tipo “posso fazer coisa melhor com esse dinheiro / tempo” pode ser sinal que não estamos valorizando o nosso bem estar.

2: A mania de colocar o resto do mundo antes de nós

Outra coisa que eu imediatamente reconheci foi a – socialmente aceita – mania de colocar todo mundo em primeiro lugar, menos você. Às vezes não por se tratar de menosprezo a nós, mas aquela vontade tão grande de fazer o bem ao outro o tempo inteiro. Uma mensagem que nunca sai da minha cabeça nesses momentos é uma que você com certeza já escutou: devemos colocar a máscara de oxigênio em nós primeiro, para então estar apto a ajudar o outro. Seja saúde física ou mental, ter certeza que estamos no nosso 100% é uma maneira incrível de oferecer a sua melhor versão ao mundo. Consciência da importância de estar bem não é egoísmo.

3: Bem-estar não tem nenhuma real função

Ah, dessa eu tenho tremenda culpa em cartório. A mentalidade millennium de querer eficiência e produtividade a todo minuto pode acabar tirando o melhor de nós. Essa é uma filosofia principalmente ocidental, os japoneses – eficientes e trabalhores que só eles – entendem bem a importância de tirar um momento pra suas própria mentes e espiritualidade. Uma massagem, um ritual só nosso, uma noite com celular desligado pode parecer não ter função no mundo real, mas tenta e me fala se não faz uma diferença imensa no mundo aqui dentro – e tem coisa mais real que isso?

 

 

Agora vamos para maneiras simples e práticas que eu te convido a tentar por aí. Auto-cuidado tem tudo a ver com auto-conhecimento, e ninguém melhor nisso do que… você mesma. Experimentar, observar e dar tempo para você são as únicas regras desse processo, o resto você define. Essas são alguns recursos que eu recorro quando preciso recarregar as minhas energias.

Spa em casa com produtos naturais

Se tiver acesso a uma dermatologista, aproveita a chance de aprender mais sobre sua própria pele, mas caso contrário, há algumas coisas que você pode tentar com produtos bem acessíveis. Eu descobri que a solução para meu cabelo meio seco/meio oleoso estava um shampoo mais natural quando lia uma entrevista da Emma Watson, não sou de indicar produto à toa, mas esse shampoo orgânico da Christina Moss mudou a minha vida – da cabeça pra cima.

Retirar a maquiagem e fazer hidratação no rosto com óleo de coco também foi algo que eu me dei muito bem, adoro finalizar com o face mist da Herbivore. Experimentar se desligar de todas as telas enquanto faz uma máscara caseira no final do dia, uma esfoliação no corpo à base de mel e açúcar nunca fez mal a ninguém! Outra prática que tento manter é uma técnica da ayurveda conhecida como auto-massagem, é bem simples e te permite tempo de desconectar de todo o resto.

Dizer não quando é preciso

Eis uma coisa tão simples que me levou uns bons anos pra aprender. Cada pessoa tem seu nível ideal de socialização. O que na adolescência eu entendia como inadequação, hoje vejo como meu próprio ritmo. E ele varia também de temporada pra temporada, então pra que se estressar tanto com o espaço que o seu corpo pede? Às vezes tá tudo bem em dizer não a um convite social pra passar um tempo com você mesma.

Cozinhar comidas completas e com ingredientes frescos

Mesmo quem não fica super à vontade na cozinha – tipo eu até morar sozinha – gosta de comer. Comida é a nossa principal fonte de energia, e passar tempo conhecendo e entendendo os ingredientes frescos é uma maneira incrível de criar intimidade com eles. Comece sempre em um nível de complexidade que te deixe confortável – não tem competição nenhuma. O objetivo é criar algo gostoso (que tal um sorvete caseiro de coco e limão?), com ingredientes cheios de nutrientes feito pelo seu maior amor – você mesma. 

E você? Tem algum ritual para se conectar com você mesma? Me conta nos comentários e não se esqueça, tá liberado cuidar da gente. Boa semana!

ps.: Estou emocionada que consegui criar essa ilustração rapidinho pra esse post! Me diz se gostou que eu vou tentar fazer isso de novo! 

ps. 2: alguns produtos linkados nesse post são afiliados ao blog, eles refletem a minha opinião e caso você compre através deles ajuda o blog sem custar nada a mais pra você!

 

||||| 4 Gostou? |||||

Você também vai gostar

1 Comment

  • Carol
    1 semana ago

    Yayyy, valeu a pena esperar por esse novo post! Amei a ilustração e digo sim a próximos posts com mais ilustrações!
    Quanto ao tema, tô aqui no comecinho da manhã tomando um chazinho e lendo algo inspirador. Acho um self-care super simples e que me motiva a começar o dia do melhor jeito :) adorei o tema, nossa geração meio que precisa ser lembrada constantemente que cuidar de si é essencial, né?

Deixar comentário

Deixar comentário Your email address will not be published