Uma breve introdução do retorno

Uma breve introdução do retorno

Uma breve introdução do retorno

É interessante pensar nas explicações que o nosso cérebro articula para nós mesmos, e como essas explicações não se preocupam em ter qualquer compromisso com a verdade. Explico: quando comecei a blogar, eu morava em Maceió, cursava Direito e mantinha uma rotina muito pouco criativa ou estimulante para o lado direito do meu cérebro. Eu dizia a quem perguntasse – e a mim mesma – que o blog era o meu escape criativo, afinal tinha textos, curadoria de inspirações, projetinhos DIY despretenciosos e até rolava uns ~editoriais~.

Depois de um tempo nessa vida que não me pertencia, eu me mudei para o Rio de Janeiro pra estudar moda. O blog, naturalmente, foi comigo, junto com o pensamento de que “ah, agora sim, eu estudo algo criativo e vou ter muito mais conteúdo e propriedade pra postar no blog.” Quando me mudei para Los Angeles, então, confiei tão fortemente na equação vida mais criativa = mais conteúdo para eu falar no blog, que até reformulei ele todinho, layout e branding para deixá-lo pronto para tamanha aventura.

Dizer que eu estava certa ou errada é tão útil quanto prometer que dessa vez vai ser diferente. A questão é que com a vida criativa, descobertas e “qualificação” (por assim dizer) vem a falta de tempo, a sensação de responsabilidade (afinal, não posso sair por aí dando dicas disso a não ser que eu seja uma especialista) e, claro, a pressão pra priorizar os trabalhos pagos, né? #néfácilseradulto.

Em resumo: quando se tem tempo, não se tem a autoridade pra escrever; quando se ganha a autoridade, se perde o tempo. Tudo pode ser uma razão válida que o cérebro conta a ele mesmo, ou um desafio que o cérebro reconhece e escolhe superar. Hoje eu escolho voltar a blogar com um pouco mais de autoridade, ainda como escape criativo e, se eu conseguir, compartilhar um pouquinho de tudo que a vida tem me ensinado ultimamente.Esse post é uma abertura de coração, um resgate da ingenuidade de blogar e, principalmente, um obrigada por manter a casa quentinha pra mim, vocês são demais.

Fica que vai ter diário de viagem do México!

 

Você também vai gostar

Deixar comentário

Deixar comentário Your email address will not be published